Localização

Bem-vindo ao Universo Fnac! Para que sua experiência seja a melhor possível, defina sua localização:

Entrevista

Lugar de criança é na cozinha!

Ana Carolina Bringhenti lança ‘Bagunça na Cozinha’ (Editora Senac), com receitas para os pequenos tentarem em casa e deixarem seus dias mais saborosos

Entrevista

Lugar de criança é na cozinha!

jenniffer.hoche • 03 de outubro de 2016 • 09h58

Você também começou a “brincar de cozinhar” quando ainda era pequena?

Cresci em uma família de mulheres cozinheiras maravilhosas. Quando bem pequena eu ficava mesmo em uma toalhinha quadriculada na sala, ao lado da porta da cozinha. Assim o universo da comida sempre morou em mim, era inevitável querer aprender logo.

Qual foi o primeiro prato que aprendeu a fazer?

Não sei se posso confessar isso, mas acho que a primeira coisa que aprendi foi uma receita de brigadeiro no microondas! (risos)

CAPA_BagunçaCozinha_300dpiComo foi a elaboração de Bagunça na Cozinha? E a escolha das receitas que compõem o livro?

O livro nasceu primeiramente como projeto de conclusão do meu curso de design gráfico. Quando o Senac topou publicar, tive que rever, testar e pensar em novas receitas! Ver o processo do livro crescer foi bem legal. Tentei deixar claro que estar na cozinha não precisa ser complicado, por isso elaborei três cardápios para todos os momentos do dia (almoço, lanche etc.). As receitas são bem amigáveis para crianças e não há nada radical! Usei ingredientes que provavelmente já existem na rotina delas, fazendo substituições mais saudáveis como o cacau pelo achocolatado e o açúcar orgânico pelo refinado.

Além de divertido, cozinhar pode promover uma alimentação mais saudável para as crianças. Como você observa essa busca por uma alimentação melhor?

Para mim, bem estar e saúde tem tudo a ver com a alimentação. Comecei a perceber isso quando passei a cozinhar realmente minha comida lá em casa. São pequenas coisas que já podem fazer uma grande diferença. Principalmente no nível da consciência, quando a gente pratica – entende o processo – começa a questionar mais o que está consumindo. E isso me parece nunca ter volta! Essa revolução toda começa a partir da cozinha, do contato. É tão importante espalhar esse conhecimento que tem sido esquecido com a correria da vida. E eu acredito que o espaço da família é perfeito para isso: existe afeto, confiança e troca, para os pequenos e para os adultos também, então por que não começar algo diferente agora?

Crianças gostam de comer doces, isso é fato! Quais são os doces mais fáceis de fazer, que mesmo as menores crianças com supervisão podem aprender?

Um bom bolo não dá esse trabalhão todo e perfuma a casa que é uma beleza. Eles podem ser batidos no liquidificador, por exemplo. Inclusive bolos são ótimas pedidas para colocar frutas ou legumes. No livro tem também uma receita de tortinha gelada de maracujá e um sorvete de banana com cacau que adoro e são ainda menos trabalhosas!

Que dicas você daria para alguém que nunca cozinhou e quer aprender?

Antes de tudo, tenha paciência. A cozinha é solo fértil para experimentar e usar a sua intuição. A melhor forma de se tornar melhor nisso é praticar e praticar. É claro que algumas coisas podem fugir um pouco do controle às vezes, mas com carinho tudo acaba dando certo no final! Um pouco como a vida, né? Cozinhar também pode ser um ato de generosidade consigo mesmo, para aprender a calma e nutrir corpo e mente!

Por Carolina Porne