Localização

Bem-vindo ao Universo Fnac! Para que sua experiência seja a melhor possível, defina sua localização:

Entrevista

Sandamí lança disco solo ‘De Tudo Para Todos’

Artista explora seu lado compositor, mas mantem as regravações bem acertadas, em novo trabalho, que será lançado nas lojas Fnac Pinheiros e Ribeirão

Entrevista

Sandamí lança disco solo ‘De Tudo Para Todos’

jenniffer.hoche • 08 de novembro de 2016 • 09h09

De Tudo Para Todos é o seu primeiro trabalho solo, certo?

Sim e não. É o primeiro trabalho solo que eu lanço, mas na verdade eu já tenho outros quatro discos que gravei, mas não tive a oportunidade de trabalhar porque estava envolvido com meu trabalho no Sambô.

 

E como foi a sua saída do Sambô?

Difícil, claro. Não é uma decisão fácil de se tomar, mas não podia mais evitar. Eu queria começar uma nova fase na minha vida e na minha carreira.

 

Como foi a produção do De Tudo Para Todos?

Acho que o repertório que eu tinha para fazer esse álbum dava para fazer mais de 30 (risos). São músicas que marcaram cada momento da minha trajetória na música. O DVD foi gravado em Osasco (SP), em estúdio. O espaço foi montado como a casa de um casal, que vai interagindo com as músicas. Foi uma experiência muito bacana, e está sendo sensacional trabalhar esse disco nos palcos.

 

O que o público da Fnac pode esperar do pocket show na Fnac Pinheiros?

As canções precisam ser adaptadas para o ao vivo sempre. Apresentá-las e sentir a energia do público dá uma outra proporção às canções. O público certamente pode esperar um showzaço! Gosto de me apresentar na Fnac, com a banda menor, mas com o público bem próximo, é muito bom. Também estou animado!

 

Esse novo projeto tem cinco canções autorais. Como é o seu lado compositor?

Existem mil formas de se criar uma música. No meu caso, a grande maioria delas surge primeiro na melodia e na harmonia, depois vem a letra. Não tenho tanta habilidade para escrever, a letra pode demorar meses até ficar do jeito que eu gostaria.

 

Quais artistas você considera as suas maiores inspirações?

Aqueles que tocam comigo. Quanto mais eu convivo com esses feras mais eu os admiro. É um aprendizado contínuo e mútuo.

 

Uma das canções do De Tudo Para Todos é uma parceria com Mc Guimé. Como foi esse encontro?

Nobre Cidadão é incrível. O Guimê sempre foi conhecido pelo funk ostentação, mas a história de vida dele é demais. Poxa, ele começou panfletando para o empresário dele e, enquanto trabalhava, fazia suas rimas para o povo. Ele chegou no estúdio para gravar a música e escreveu o funk em umas duas horas, uma letra bem poderosa em tão pouco tempo! Nobre Cidadão é uma música mais política; não sou de defender partidos ou grupos, mas não podemos nos omitir sobre o que acontece ao nosso redor.

 

Além das músicas autorais, o disco também conta com regravações inéditas…

Sim! Regravei Staying Alive, grande sucesso dos BeeGees, Tempos Modernos, do Lulu Santos, Pride, do U2…todas músicas que eu gosto, que eu ouço em casa mesmo. O conjunto ficou muito bacana, espero que vocês gostem!

Por Carolina Porne