Localização

Bem-vindo ao Universo Fnac! Para que sua experiência seja a melhor possível, defina sua localização:

Música, Outros

Glórias da música nacional: 22º Prêmio da Música Brasileira

Críticos pelo mundo vivem cantando as glórias da música brasileira. Louvada pela criatividade, ousadia e qualidade, a música nacional também tem suas premiações, que elegem o melhor produzido aqui dentro. As cerimônias acabam não recebendo o estardalhaço merecido na mídia, mas vale a pena acompanhar para ver quem ganhou destaque no último ano na opinião […]

Música, Outros

Glórias da música nacional: 22º Prêmio da Música Brasileira

jenniffer.hoche • 11 de julho de 2011 • 16h42

Críticos pelo mundo vivem cantando as glórias da música brasileira. Louvada pela criatividade, ousadia e qualidade, a música nacional também tem suas premiações, que elegem o melhor produzido aqui dentro.

As cerimônias acabam não recebendo o estardalhaço merecido na mídia, mas vale a pena acompanhar para ver quem ganhou destaque no último ano na opinião de especialistas.

O 22º Prêmio da Música Brasileira, que rolou na última semana no Rio de Janeiro, trouxe uma homenagem a toda produção de Noel Rosa e vencedores em 16 categorias diferentes.

Entre as categorias mais populares, o destaque fica para a Melhor Canção, Dolores e suas desiluções, de Monarco e Mauro Diniz com interpretação de Zeca Pagodinho; Revelação com Luísa Maita, que venceu a super elogiada Tulipa Ruiz e também Vitor Garbelotto; Melhor Dupla de Canção Popular com Zezé Di Camargo e Luciano, que competiram com Criolina e Victor e Léo; e Melhor Cantor de MPB com Emílio Santiago, que já soma mais de 40 anos de carreira (ele venceu Milton Nascimento e Zé Renato).

A edição também premiou outras categorias, como Melhor DVD (Arnaldo Antunes com “Ao vivo lá em casa“), Melhor Álbum Erudito (“Chopin the Nocturnes” do pianista Nelson Freire) e Melhor Arranjador (Cristóvão Bastos por “Tantas marés” de Edu Lobo).

Veja os competidores e vencedores de cada categoria (os vencedores estão em negrito):

Arranjador

Cristóvão Bastos por “Tantas marés”, de Edu Lobo

Mario Adnet por “O samba vai”, de Mario Adnet
Paulão 7 Cordas por “Bodas de coral no samba brasileiro”, de Délcio Carvalho e Dona Ivone Lara

Melhor canção

“Baila no ar”, de Dona Ivone Lara, Délcio Carvalho e André Lara – intérpretes Délcio Carvalho e Dona Ivone Lara (CD ‘Bodas de coral no samba brasileiro’)
“Dolores e suas desilusões”, de Monarco e Mauro Diniz – intérprete Zeca Pagodinho (CD “Vida da minha vida”)
“Procissão da padroeira”, de Guinga e Paulo César Pinheiro – intérprete Ilana Volcov (CD “Banguê”)

Projeto visual

DJ Tudo, disco “Nos quintais do mundo”, de Daniel Cabral
Pato Fu, disco “Música de brinquedo“, de Andréia Costa Gomes
Paulo César Pinheiro, disco “Capoeira de Besouro“, de Gringo Cardia

Revelação

Luísa Maita
Tulipa Ruiz
Vitor Garbelotto

Categoria Canção popular

Melhor álbum

Cabaret do Rossi“, de Reginaldo Rossi, produtores Antônio Mojica e Victor Kelly
“Cine Tropical”, de Criolina, produtores Evaldo Luna e Criolina
Roupa Nova 30 anos Ao Vivo“, de Roupa Nova, produtor Roupa Nova

Melhor dupla

Criolina (“Cine Tropical”)
Victor e Léo (“Boa sorte pra você”)
Zezé Di Camargo & Luciano (“Double face”)

Melhor grupo

Roupa Nova (“Roupa Nova 30 anos ao vivo”)
Sua mãe (“The very best of the greatest hits”)
The Fevers (“Vem Dançar II”)

Melhor cantor

Bebeto (“Prazer, eu sou Bebeto”)
Leonardo (“Alucinação”)
Reginaldo Rossi (“Cabaret do Rossi”)

Melhor cantora

Hebe Camargo (“Mulher”)
Maga Lieri (“Bem acompanhada”)
Sandra de Sá (“África Natividade”)

Categoria Intrumental

Melhor álbum

“Cristal”, de Marco Pereira, produtor Swami Jr.
“Gismontipascoal – a música de Egberto e Hermeto”, de Hamilton de Holanda e André Mehmari, produtores Hamilton de Holanda e André Mehmari
“Lado B”, de Yamandu Costa e Dominguinhos, produtores Yamandu Costa e Dominguinhos

Melhor solista

Dominguinhos (“Lado B”)
Hamilton de Holanda (“Esperança : Ao Vivo na Europa”)
Yamandu Costa (“Lado B”)

Melhor grupo

Hamilton de Holanda Quinteto e Orquestra Brasilianos (“Sinfonia Monumental”)
Sa GRAMA (“Chão batido, palco, picadeiro”)
Trio de Câmara Brasileiro (“Saudades da Princesa”)

Categoria MPB

Melhor álbum

“Johnny Alf ao vivo e à vontade com seus convidados”, de Johnny Alf, produtor Nelson Valencia e Thiago Marques Luiz
“Quando o canto é reza”, de Roberta Sá & Trio Madeira Brasil, produtores Pedro Luís, Marcello Gonçalves e Renato Alscher
Tantas Marés“, de Edu Lobo, produtor Cristóvão Bastos

Melhor grupo

Geraldo e os amigos do Rumo (“Sopa de concha”)
Os cariocas (“Nossa alma canta”)
Sá, Rodrix & Guarabyra (“Amanhã”)

Melhor cantor

Emílio Santiago (“Só danço samba”)
Milton Nascimento (“E a gente sonhando”)
Zé Renato (“Papo de passarim”)

Melhor cantora

Célia (“O lado oculto das canções”)
Maria Bethânia (“Amor Festa Devoção’)
Roberta Sá (“Quando o canto é reza”)

Categoria Pop/rock/reggae/hip-hop/funk

Melhor álbum

Ao vivo lá em casa“, de Arnaldo Antunes, produtor Betão Aguiar
Música de brinquedo“, de Pato Fu, produtor John Ulhoa
“Nos quintais do mundo”, de DJ Tudo, produtor Alfredo Bello Aka (DJ Tudo)

Melhor grupo

Mombojó (“Amigo do tempo”)
Pato Fu (“Música de brinquedo”)
Pedro Luís e a Parede (“Navilouca ao vivo”)

Melhor cantor

Lulu Santos (“Lulu acústico MTV II”)
Paulinho Moska (“Pouco”)
Seu Jorge (“Seu Jorge e Almaz”)

Melhor cantora

Nina Becker (“Azul”)
Tulipa Ruiz (“Efêmera”)
Vanessa da Mata (“Bicicletas, bolos e outras alegrias”)

Categoria Regional

Melhor álbum

“Capoeira de besouro”, de Paulo César Pinheiro, produtor Luciana Rabello
“Délibáb”, de Vitor Ramil, produtor Vitor Ramil
“Fé na festa”, de Gilberto Gil, produtor Gilberto Gil

Melhor dupla

Caju e Castanha (“Festival de emboladas”)
Renato Teixeira e Sérgio Reis (“Amizade sincera”)
Zé Mulato e Cassiano (“Sertão ainda é sertão”)

Melhor grupo

Mais caipira (“Mais caipira”)
Quinteto Violado (“Quinteto Violado canta Adoniran Barbosa e Jackson do Pandeiro”)
Umbando (“Umbando”)

Melhor cantor

Gilberto Gil (“Fé na festa”)
Renato Teixeira (“Amizade sincera”)
Vitor Ramil (“Délibáb”)

Melhor cantora

Elba Ramalho (“Marco Zero – ao vivo’)
Juliana Spanevello (“Pampa e flor”)
Margareth Menezes (“Naturalmente acústico”)

Categoria Samba

Melhor álbum

“Bodas de coral no samba brasileiro”, de Délcio Carvalho e Dona Ivone Lara, produtor Luiz Moraes
Pra gente fazer mais um samba“, de Wilson das Neves, produtores Wilson das Neves, Zé Luiz Mais, João Rebouças e André Tandeta
“Vida da minha vida”, de Zeca Pagodinho, produtor Rildo Hora

Melhor grupo

Gafieira São Paulo (“Gafieira São Paulo”)
Saia no samba (“Saia no samba”)
Tio Samba (“É batata – Carmem Miranda Revisited”)

Melhor cantor

Martinho da Vila (“Poeta da cidade”)
Wilson das Neves (“Pra gente fazer mais um samba”)
Zeca Pagodinho (“Vida da minha vida”)

Melhor cantora

Alcione (“Acesa : Ao Vivo em São Luís do Maranhão”)
Mariene de Castro (“Santo de casa”)
Mart´nália (“Mart’nália em África ao vivo”)

Categoria Finalistas Especiais

DVD

Arnaldo Antunes: “Ao vivo lá em casa”, diretor Andrucha Waddington
Ney Matogrosso: “Beijo bandido”, diretores Felipe Nepomuceno e Renato Martins
Pequeno Cidadão: “Pequeno cidadão”, diretor Fábio Mendonça

Álbum em língua estrangeira

Alma mía“: Leny Andrade, produtor Ruy Quaresma
Cauby sings Sinatra“: Cauby Peixoto, produtor Thiago Marques Luiz
Tide“: Luciana Souza, produtor Larry Klein

Álbum erudito

Chopin the Nocturnes“, por Nelson Freire
“Tchaikovsky: Sinfonia N.º 6 – Patética Abertura 1812″,  pela Osesp
Villa-Lobos“, pela Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo

Álbum infantil

Além do Mar“: Kha Machado, produtor Kha Machado
Quando Eu Crescer“: Éramos Três, produtor Éramos três
O Soldadinho e a Bailarina“: O soldadinho e a bailarina, produtor Victor Pozas

Álbum projeto especial

Adoniran 100 anos“: Vários, produtor Thiago Marques Luiz
“Mário Lago, homem do século XX”: Vários, produtores Luiz Moraes, Afonso Carvalho e Dermeval Coelho
Quando Fevereiro Chegar – Uma Lírica de Fausto Nilo“: Vários, produtor Robertinho do Recife

Álbum eletrônico

Calavera“: Guizado, produtor Guilherme ‘Guizado’ Menezes
Mundialmente Anônimo – O Magnético Sangramento da Existência“: Maquinado (Lúcio Maia) produtor Lúcio MaiaHowключевые слова для сайта